Angelo Fernandes

Angelo Fernandes tem se destacado com grande sucesso por sua dedicação à música vocal e à pedagogia do canto. Músico de diversas possibilidades vem desenvolvendo uma ampla atividade como cantor, pianista, regente coral e professor de canto. É docente do Departamento de Música do Instituto de Artes da UNICAMP onde leciona Canto, Ópera Studio, Música de Câmara, Técnica Vocal e Dicção.

 

Tornou-se Doutor (2009) e Mestre (2004) em Música pelo Programa de Pós-Graduação em Música do Instituto de Artes da UNICAMP, Especialista em Regência Coral (2001) e Bacharel em Música com habilitação em piano (1994) pela Escola de Música da UFMG.

 

Entre seus principais professores e orientadores destacam-se Carlos Alberto Pinto Fonseca, Iara Fricke Matte e Lincoln Andrade (Regência Coral), Eduardo Hazan, Lucas Bretas, Berenice Menegale e Helly Drumond (Piano e Música de Câmara), Isabel Maresca, Inácio de Nonno, Adriana Giarola Kayama, Eliane Fajioli e Amin Feres (Canto).

 

Como pesquisador, foi bolsista de Pós-Doutorado do CNPq e tem se dedicado intensamente ao estudo da técnica vocal na prática coral dos diversos períodos históricos e estilos de música composta para coro e sua aplicação na performance coral atual. Tem trabalhado também com o resgate e análise musical da obra vocal do compositor mineiro Carlos Alberto Pinto Fonseca.

 

Na área da performance musical tem realizado diversos recitais de câmara como pianista ou cantor, apresentando um repertório diversificado com ênfase na canção brasileira de câmara. É diretor artístico do Ópera Estúdio UNICAMP, grupo com o qual tem dirigido a montagem de diversas óperas com elencos de cantores jovens ligados ao Curso de Música da UNICAMP em parceria com a Orquestra Sinfônica desta universidade. Seu trabalho de maior destaque, contudo, é sua atuação como regente à frente do Coro Contemporâneo de Campinas, tendo já se apresentado em diversas cidades brasileiras e também no exterior, sempre levando um repertório de alto nível técnico e artístico.

Ana Lúcia Gaborim

Professora efetiva do curso de música da UFMS, nas áreas de regência, canto coral, técnica e expressão vocal. Concluiu bacharelado em composição em regência e mestrado em música pela UNESP, doutorado em artes pela USP. sua pesquisa sobre a regência coral infantojuvenil recebeu menção honrosa no prêmio tese destaque USP 2016. coordena o GPEP - Grupo de Pesquisa em Educação e Prática Musical da UFMS - e integra o GEPEMAC - Grupo de Pesquisas Multidisciplinares nas Artes do Canto, da USP. É regente e coordenadora do PCIU - Projeto Coral Infantojuvenil da UFMS - que congrega cinco grupos corais para crianças a partir de 5 anos. É também coordenadora e regente do projeto Cantemus, que inclui o coro feminino da UFMS e o grupo vocal Cantemus, além de regente da Camerata UFMS Cordas. Integrou o corpo docente do painel FUNARTE de regência coral. é representante estadual da Associação Brasileira de Educação Musical (ABEM) no Mato Grosso do Sul e tem publicado frequentemente em congressos nacionais e internacionais de educação musical.

Carlos Alberto Figueiredo

Carlos Alberto Figueiredo estudou Regência Coral com Frans Moonen, no Conservatório Real de Haia, Holanda. Fez cursos complementares com Jan Elkema e Rainer Wakelkamp na Fundação Kurt Thomas da Holanda. Estudou com Helmuth Rilling na II Bachakademie de Stuttgart e repertório barroco com Philippe Caillard, em Paris. É regente do Coro de Câmera Pro-Arte desde sua fundação, em 1976, e tem atuado como regente convidado do coro da OSESP, da Camerata Antiqua de Curitiba e do coro Polifonia Carioca. É professor de Regência Coral na Pro-Arte, desde 1983. É professor de Regência Coral e Análise Musical na Graduação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). É Doutor em Música também pela UNIRIO, com a Tese Editar José Maurício Nunes Garcia. Participou de vários projetos editoriais brasileiros de relevo, com destaque para Acervo e Difusão de Partituras, onde atuou como coordenador editorial, e também no projeto Patrimônio Arquivístico-Musical Mineiro. É autor de livros e um catálogo abordando a música sacra luso-brasileira dos séculos XVIII e XIX. No final de 2017, lançou duas gravações de obras fúnebres de José Maurício Nunes Garcia, com o coro da OSESP, pelo Selo Digital OSESP.

Carlos Fiorini

Doutor em Música (Regência) e Mestre emArtes (Música) pela UNICAMP, Carlos Fiorini graduou-se em Regência e Composição pela mesma instituição. Desde 1998 é professor da área de Regência do Departamento de Música da UNICAMP.

Atual regente da Orquestra do Departamento de Música da UNICAMP quando a criou em 2015, desde 1998 atua como regente em projetos especiais com a Orquestra Sinfônica da UNICAMP. De 2005 a 2008 foi Regente Assistente e Titular da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas.

Trabalhou como Regente Assistente das Orquestras Sinfônicas da Universidade Estadual de Londrina, de Sorocaba e de Bragança Paulista. Em 2000 e 2001 atuou como Regente e Diretor Musical do Festival “Aldo Baldin” de Florianópolis, e de montagens de óperas pela Cia. Ópera São Paulo. Também regeu como convidado as Orquestras Sinfônica de Americana, Filarmônica de Rio Claro e Sinfônica Nacional de Cuba. 

Como regente coral, trabalhou com diversos grupos, como o Coro do CPqD, Coro UNIMED-Campinas, Coro Net-Campinas, Coro do Instituto Agronômico de Campinas, Coral Harmonia (Holambra) e Coral Campinas, onde foi regente e diretor artístico por 10 anos. Desde 2005 é Coordenador, Diretor Artístico e Regente do Coro do Departamento de Música da UNICAMP

Criou em 1996 a Camerata Anima Antiqua, grupo especializado na música renascentista do qual ainda é seu Diretor Artístico e Regente. 

Em 2009 criou no Instituto de Artes da UNICAMP um Centro Interno de Pesquisa dedicado à regência coral e orquestral denominado “Regência – Arte e Técnica”, do qual fazem parte a Orquestra do Departamento de Música da UNICAMP, o Coro do Departamento de Música e a Camerata Anima Antiqua.

Carlos Roberto Ferreira de Menezes Júnior

É professor adjunto do curso de graduação e pós-graduação em música da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) atuando na área de música popular (harmonia, arranjo, história e prática de conjunto), e na área de música e novas tecnologias. Doutor em música pela ECA/USP na área de processos de criação musical com a tese “Os elementos composicionais do Clube da Esquina como alimentadores de processos criativos de arranjos vocais de canções populares brasileiras” (conclusão em 2016 sob orientação do Prof. Dr. Marco Antonio da Silva Ramos). Mestre na área de inteligência artificial / computação sônica pela UFU (conclusão em julho de 2007). Possui especialização em música do século XX com área de concentração em computação sônica pela UFU (2001). Bacharel em Violão pela UFU (2002), Licenciado em Música pela UFU (2003) e graduado em Engenharia Mecânica pela UFU (1997). Atua a mais de vinte anos como professor, compositor, arranjador, violonista, cantor e regente de coral. Membro do Núcleo de Música e Tecnologia (NUMUT) da UFU e coordenador do laboratório de produção musical. Fundador e integrante do quarteto vocal VagaMundo como cantor, violonista e arranjador desde 1997. Lançou, com o quarteto, dois CDs e um DVD e participou de vários outros como produtor musical, violonista, arranjador e cantor.

Fábio Miguel

Cantor, Professor de Canto, Preparador Vocal e Regente Coral.                        Graduado e Licenciado em Matemática pela Pontifícia Universidade                Católica de São Paulo. Formado em Piano pela Fundação das Artes em São Caetano do Sul, sob a orientação de Ulisses de Castro. Estudou canto com Maria Cecília de Oliveira e repertório com Vânia Pajares. Bacharel em Regência pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" no Instituto de Artes de São Paulo. Mestre em Música pela mesma universidade. Doutor em Música, também, pela UNESP. Lecionou na Universidade Cruzeiro do Sul no bacharelado em Canto de agosto de 2004 a junho de 2009, nas disciplinas: Canto, Fisiologia da Voz e Dicção; Pedagogia Vocal. Lecionou, em 2008 e 2009, na Fundação das Artes em São Caetano do Sul. Atualmente é professor no Instituto de Artes da UNESP, na graduação e pós-graduação. Leciona, entre outras, as disciplinas: Voz e Expressão para o Bacharelado em Instrumento, Licenciatura em Educação Musical; Canto Coral, Coro de Câmara. Possui experiência na área de Canto e Canto Coral, atua como cantor, preparador vocal e regente coral. Pesquisa, ainda, acerca da Expressão Vocal em diferentes contextos. Líder do GEPPEVOZIA (Grupo de Estudo, Prática e Pesquisa em Voz do Instituto de Artes da UNESP). Em 2012, foi professor no III Festival de Música de Campina Grande. Tem sido convidado para ministrar cursos na área da voz em diferentes lugares.

Atuou como solista nas seguintes obras: Savior: Oratório Contemporâneo, As sete últimas palavras de Cristo na cruz de Theodore Dubois, Réquiem de Brahms, Missa de Alcaçuz de Danilo Guanais, Missa em Sol Maior de Schubert, Oratório de Natal de Saint-Saêns, entre outras. Realizou a estreia brasileira, da obra Kassandra de Xenakis, em 2016. Cantou o ciclo de canções Dichterliebe, op. 48 de Schumann, acompanhado ao piano por Vânia Pajares e o ciclo Fünf Lieder un Gesänge, acompanhado ao piano por Angelo José Fernandes. Participou de um recital de canções inéditas de Glauco Velásquez. Realizou, também, diversos recitais com canções para voz e violão, juntamente com o violonista Luciano Morais. Atuou como Enéas, na ópera Dido e Enéas, de Purcell, em 2009 e 2010.

Fez, em maio de 2018, a estreia brasileira da obra Aïs de Iannis Xenakis, com a soprano Manuela Freua e o percussionista Rubens Lopes, junto a Orquestra Jovem do Estado, sob a regência do maestro Cláudio Cruz.

Izabel Padovani

O trabalho de Izabel Padovani despontou na cena musical brasileira em 2005, quando venceu um dos mais respeitados concursos de música do país, o Prêmio Visa de Música Brasileira. O fato serviu como ponte para sua volta definitiva ao país depois de uma década vivendo na Áustria. Participou de projetos com músicos como André Marques, Nenê, Mané Silveira, Nelson Ayres, Alessandro Kramer, Guinha Ramires, Trio Curupira, Ronaldo Saggiorato, Oficina de Cordas de Campinas, Marcio Tubino, Marcelo Onofri, Thomas Kugi,Thomas Gansch, Alegre Corrêa, Oficina de Cordas de Campinas, Orquestra à Base de Sopros de Curitiba, entre outros. Em parceria com o baixista Ronaldo Saggiorato, participa do projeto Duos Brasileiros ao lado de Monica Salmaso, Teco Cardoso, Ná Ozzetti e André Mehmari. Sua discografia inclui seis CDs, o mais recente, um álbum gravado ao vivo no Teatro Santa Maria em Curitiba, junto a Orquestra à Base de Sopros de Curitiba, com a obra de Guinga. Ao lado do baixista Ronaldo Saggiorato lança lança em 2016 o álbum Aquelas Coisas Todas, trabalho que figura na lista dos melhores lançamentos do ano pelo crítico musical Carlos Calado. Também em parceria com o baixista, lança o CD Tons - bass and voice, trabalho que recebeu a indicação para o Prêmio da Crítica Schallplattenkritik na Alemanha.

O CD Desassossego, lançado em 2006 pela gravadora Eldorado ganhou elogios da crítica no Brasil e na Europa e conta com a participação de músicos como Proveta, Nenê, Renato Brás, Vinicius Dorin, entre outros. A cantora é graduada em Licenciatura em Música pela Universidade Federal de São Carlos e pós graduada em música pela Unicamp. É também professora de Técnica Alexander, formada pelo The Alexander Technique Teacher Trainning Centre em Viena. Na área acadêmica desenvolve trabalho de pesquisa, em que aborda interrelações entre a voz, o corpo e a Técnica Alexander. Tem sido convidada para ministrar workshops e oficinas sobre o tema Técnica Alexander para Cantores e músicos em eventos como a Oficina de Música de Curitiba, e os Festivais de Música de Itajaí, Tatuí, Ouro Preto, Festival de Teatro da UFU, Universidade de Música de Mendoza, UFRGS, Unicamp, Casa do Brasil na Alemanha, Escola Canto do Brasil, Unesp, Universidade Santa Marcelina, SIMB-Florianópolis, entre outros.

Juliana Melleiro Rheinboldt

Natural de Jundiaí-SP, é doutora e mestra em Música pela UNICAMP, sob orientação do Prof. Dr. Angelo Fernandes, e graduada em Licenciatura em Educação Musical, pela UNESP. Atualmente, é regente do Coral da Gente do Instituto Baccarelli (São Paulo-SP) e do Canarinhos da Terra (Campinas-SP), a frente do Grupo Infantojuvenil e de coros infantis do programa “Coral na Escola”. Também ministra a disciplina Educação musical no Colégio Lumen Verbi (Paulínia-SP). Dentre outros festivais, aperfeiçoou-se em pedagogia coral e regência no “Creating Artistry” (Butler University – EUA) com os maestros Henry Leck, Ruth Dwyer, Joshua Pedde, Eric Stark e Tim Brimmer. Integra o Coro Contemporâneo de Campinas e já integrou o Coral Jovem do Estado de São Paulo e o Coro Juvenil da OSESP. Foi bolsista da 1ª Academia de Canto em Trancoso - Mozarteum Brasileiro e Chorakademie Lübeck (Alemanha) e da Academia Internacional Teatro del Lago- Semana Santa (Chile). Como solista, interpretou Dido na ópera “Dido e Aeneas” (Purcell), Peregrina no “Entremez da Peregrina” (Anônimo), Papagena e Primeiro Menino na ópera “A Flauta Mágica” (Mozart), Rosalia em “West Side Story" (Bernstein), além da Missa de Stravinsky e Requiem de Mozart. Também encenou a ópera “O Empresário Teatral” (Mozart). Foi corista das óperas “Der Freishütz- O Franco Atirador” (Weber), “Le Domino Noir” (Auber) e “Dido e Aeneas” (Purcell).

Marco Antonio da Silva Ramos

Professor Titular de Regência  Coral no Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e ali coordena o Comunicantus: Laboratório Coral. Está à frente do Coral da ECA-USP desde 1981. Apresentou-se como regente convidado frente a importantes coros internacionais, como o  International Vocal Ensemble, Contemporary Ensemble e University Singers da Universidade de Indiana,  EUA, Coral do Conservatório Nacional de Lisboa, Coros  Infantil e Juvenil da Orquestra Filarmônica de Las Palmas, além de importantes coros brasileiros e coros formados em festivais nacionais e internacionais. A convite da Centro-European Academy of Arts, apresentou-se na Hungria e Austria com um coro internacional de jovens. Sua atuação, nos campos da análise interpretativa, da técnica de regência coral, como educador coral e no campo da preparação vocal marcam seu estilo como professor e performer. Orienta na pós-graduação em Música da Escola de Comunicações e Artes da USP desde 1997, tendo formado gerações de mestres e doutores, entre eles muitos professores universitários de vários estados do Brasil. Em 2015 participou de  projeto de pesquisa conjunta e colaboração artística com o Prof. John Rink, o Dr Geoffrey Webber, ambos da Universidade de Cambridge, e a Prof.a Dra. Susana Igayara, da USP, financiado pela British Academy for the Arts and Humanities, Reino Unido.

 

Foi colaborador como professor, regente e planejador do Projeto Villa_Lobos da FUNARTE de 1982 a 1993.

Atualmente é também o Diretor do CORALUSP, Coral da Universidade de São Paulo.

Samuel Kerr

Samuel Kerr, tem conduzido sua carreira musical ao som da voz cantada, seja como regente, arranjador, organista ou professor.  Dentre seus trabalhos corais estão os realizados à frente do Coral da 3ª Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo, Coral Paulistano do Teatro Municipal de São Paulo, Coral da Unesp, por ele criado, Cia Coral, Associação Coral Cantum Nobile, Coral dos Estudantes de Medicina da Santa Casa de São Paulo, Madrigal Psichopharmacom e muitos movimentos corais por ele liderados. Foi também Diretor da Escola Municipal de Música de São Paulo, Regente da Orquestra Sinfônica Jovem Municipal de São Paulo e Professor do Instituto de Artes da Unesp. Atualmente tem participado dos Painéis Funarte de Regência Coral.

Susana Cecilia Igayara-Souza

Professora de Repertório Coral e de Práticas Multidisciplinares em Canto Coral na Universidade de São Paulo, Brasil, desde 2004. Atuou como regente coral frente ao Coral do Museu Lasar Segall, Coral da Faculdade Santa Marcelina e Coral da Faculdade Mozarteum de São Paulo. Como preparadora vocal, foi responsável pelo Studio Coral – Vozes Femininas até 2010 e pelos coros do Festival Música nas Montanhas, de 2004 a 2013. Na Universidade de São Paulo, é líder do Grupo de Estudos e Pesquisas Multidisciplinares nas Artes do Canto e vice-coordenadora do Comunicantus: laboratório coral, que abriga sete distintos grupos corais e organiza Festivais anuais de coros, palestras e workshops. É orientadora plena do programa de pós-graduação em Música da ECA-USP, orientando trabalhos de Mestrado e Doutorado nas linhas de Musicologia e de Questões Interpretativas. Na pós-graduação, ministrou as disciplinas “Biografia e autobiografia na pesquisa em Música” e “A música como discurso e os discursos sobre música”. É autora de inúmeros artigos sobre repertório coral, canto coral, música brasileira, biografias e trajetórias profissionais em música, história da educação musical e história do canto coral. É editora de obras corais brasileiras, tendo coordenado os projetos Cadernos de Repertório Coral Comunicantus, Programa de edição de partituras do Coro de Câmara Comunicantus, Fórum de Editoração de Partituras Corais e colaborado com o projeto Sesc Partituras. Pela Alliance Music Publications (EUA), publicou a Ave Maria de Henrique Oswald. Na atividade internacional, participou do projeto de pesquisa USP- Universidade de Cambridge (2014-2015) sobre desenvolvimento criativo de coros e regentes corais, coordenado por John Rink, e tem apresentado trabalhos na Inglaterra, Portugal, Espanha, Estados Unidos da América e Argentina. É doutora em Educação pela Faculdade de Educação  da USP, com tese sobre a produção escrita por mulheres sobre música no Brasil, e musicóloga com mestrado pela ECA-USP, com dissertação sobre a obra sacra coral de Henrique Oswald. Graduou-se em Composição pela Escola de Comunicações e Artes da USP, tendo sido aluna dos compositores Gilberto Mendes, Mário Ficarelli e Willy Corrêa de Oliveira, e em Piano pela Faculdade Mozarteum de São Paulo, na classe de Claudio de Brito. É também bacharel em Comunicação pela ECA-USP, com habilitação em Jornalismo. De 2005 a 2009 apresentou pela Rádio USP o programa Canto Coral. Atualmente, é responsável pela comunicação institucional do Comunicantus: laboratório coral. É membro suplente da Comissão de Pesquisa e da Comissão de Relações Internacionais da ECA-USP.

William Coelho

Doutorando e mestre em Musicologia, bacharel em Regência pela USP, foi bolsista do Wind Conducting Symposium (Canadá), Festival de Campos do Jordão, Laboratório de Regência da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Festival Internacional de Campos-RJ. Foi diretor do Conservatório de Alfenas -MG, regente do coro da Universidade Federal de Alfenas-MG e regente assistente do Coral e da Orquestra de Câmara da ECA-USP. É professor de Canto Coral no Instituto de Artes da UNESP, de Harmonia e Percepção na Universidade Federal de Juiz de Fora-MG e de Regência Coral na pós-graduação da Faculdade Paulista de Artes. É autor do Guia Didático para Cordas do Projeto GURI, regente do Coral VivaVoz e do Coral da UFJF, regente do Conjunto de Música Antiga da USP e regente convidado da Orquestra Sinfônica da USP e do Coro da OSESP.